Prisioneiros libertaram seis prisioneiros de motim que durou cerca de 30 horas

Um grupo de prisioneiros libertou hoje os últimos seis prisioneiros, incluindo quatro voluntários de uma igreja evangélica, dentro de uma prisão em São Paulo, onde um motim durou cerca de 30 horas ocorreu.

Prisioneiros libertaram seis prisioneiros de motim que durou cerca de 30 horas

Um grupo de prisioneiros divulgou hoje os últimos seis reféns, incluindo quatro voluntários de uma igreja evangélica, dentro de uma prisão em São Paulo, onde um motim durou quase 30 horas.

A rebelião começou na quarta-feira em um centro de detenção temporária da cidade de Taubaté, no interior do estado de São Paulo, e durou até quinta-feira.

Os prisioneiros fizeram um total de treze pessoas como reféns, incluindo dois agentes penitenciários e voluntários religiosos. Todos eles já foram liberados, de acordo com o Departamento de Correções, citado pela imprensa local, que não informou o motivo do motim.

Rebeliões são constantes nas prisões brasileiras, o sistema prisional é considerado por organizações internacionais como um dos "piores" e "mais desumanos" do mundo, devido às altas taxas de superlotação e más condições.

Segundo dados divulgados nesta quinta-feira pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, a população carcerária no Brasil chegou a 729.463 pessoas, o que representa cerca do dobro de sua capacidade.

O saldo posiciona o Brasil como o país com a terceira maior população carcerária em números absolutos do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos e da China. EFE
 



Notícias relacionadas