Presos venezuelanos em motim buscam revisão de seus casos

Os presos são definidos como "presos políticos" e pedem que a Comissão da Verdade da Assembleia Nacional Constituinte se pronuncie sobre seus processos.

Presos venezuelanos em motim buscam revisão de seus casos

AA- Um grupo de prisioneiros que estão amotinados nas masmorras do Serviço de Inteligência Bolivariana (Sebin) na sede Helicóide na Venezuela solicitou à Comissão sobre a Verdade da Assembleia Nacional Constituinte (ANC) para analisar cada um dos seus casos.

Um dos prisioneiros, Manuel Chacín, que se define como prisioneiro por razões políticas, divulgou um vídeo nas redes sociais onde assegurou que a situação no centro penitenciário "é totalmente controlada pelos presos nas instalações".

Chacín disse que o único pedido que eles têm é que a Comissão da Verdade seja apresentada nas instalações de El Helicoide.

"Queremos que aqueles que têm as saídas liberadas sejam libertados imediatamente, que aqueles que precisam ser transferidos para hospitais sejam liberados e que aqueles que têm procedimentos de deportação sejam entregues ao seu país", disse Chacín.

O prisioneiro assegurou que a Comissão da Verdade é a única garantia que os prisioneiros têm para que seus problemas possam ser resolvidos.

O arcebispo e representante da Conferência Episcopal da Venezuela, Roberto Luckert, criticou em declarações à imprensa local que as autoridades não respeitam os documentos de liberação que ele afirma existir em alguns presos.

"Neste momento na Venezuela, essa essência do ser humano, que é a liberdade, está sendo atropelada, nós, como Conferência, estamos preocupados com esta situação", disse Luckert.

O tumulto em El Helicoide começou na segunda-feira. Os prisioneiros derrubaram barras e cadeados e tomaram o controle das masmorras do Sebin.



Notícias relacionadas