Governo colombiano reitera sua disposição de manter diálogos com o ELN

Bell salientou que a delegação do governo está disposta a permanecer na mesa de negociação até "chegar a acordos razoáveis ​​que permitam o desenvolvimento da agenda".

Governo colombiano reitera sua disposição de manter diálogos com o ELN

O Governo da Colômbia reiterou sua "firme" vontade de manter diálogos com a guerrilha do Exército de Libertação Nacional (ELN) na mesa de negociações estabelecida em Havana, com o objetivo de chegar a um acordo de paz que beneficie a todos os colombianos.

Isto foi afirmado pelo chefe da equipe de negociação do governo colombiano com o ELN, Gustavo Bell, após o anúncio feito na terça-feira de que o quinto ciclo das conversas de paz com o grupo guerrilheiro será prorrogado até 15 de junho, em um comunicado lançado na terça-feira em Havana.

Bell salientou que a delegação do governo está disposta a permanecer na mesa de negociação até "chegar a acordos razoáveis ​​que permitam o desenvolvimento da agenda".

Ele disse que estão "cientes" de que todo esforço deve ser feito para alcançar um cessar-fogo bilateral que permita "desenvolver os itens da agenda, salvando vidas".

O negociador-chefe afirmou que espera que a nova cessação seja "suficientemente sólida" para "promover o desenvolvimento da agenda", principalmente apontar "e projetar mecanismos que permitam à sociedade participar da construção da paz.

"Queremos nos concentrar nessas metas e não nos distrair com os outros", disse Bell.

O quinto ciclo das conversações de paz entre o Governo da Colômbia e o ELN foi suspenso por acordo mútuo devido ao primeiro turno das eleições presidenciais de 27 de maio e retomado no dia 30 do mesmo mês.

No atual ciclo, as partes negociam um novo cessar-fogo bilateral temporário após o cessar-fogo de 101 dias entre outubro e janeiro, bem como o planejamento da participação da sociedade colombiana no processo de paz e um Acordo-Quadro que permita avançar para o pacto final.

A negociação do acordo de paz entre o governo colombiano e as guerrilhas das FARC - assinada no final de 2016 - também ocorreu em Havana por quase quatro anos.

Os diálogos entre o Executivo colombiano e o ELN começaram em fevereiro de 2017 em Quito e seu quinto ciclo foi retomado na capital cubana em 10 de maio.



Notícias relacionadas