Manifestações no Sudão

As manifestações começaram no Sudão em 19 de dezembro nas cidades de Atbera e Port Sudan mais tarde se tornaram uma oposição ao regime.

Manifestações no Sudão

O governo do Sudão declarou que todos os detidos nas manifestações que continuam no país por mais de um mês serão libertados.

Na declaração escrita feita pelo Ministério da Informação, foi apontado que o Presidente da Segurança e Inteligência do Sudão, Salah Abdullah Kuş, emitiu a decisão da libertação dos detidos em eventos recentes.

Na declaração não havia informações sobre o número de pessoas que serão liberadas e quando serão liberadas.

O ministro do Interior, Ahmed Bilal Osman, em seu comunicado em 7 de janeiro, observou que nas 381 atividades na capital Cartum e em vários estados, em 19 de dezembro, 816 pessoas foram presas.

Os opositores sudaneses afirmam que há mais de mil o número daqueles que foram presos desde o início das manifestações.

As manifestações no Sudão, em 19 de dezembro, após o aumento do preço do pão pelo governo, começaram nas cidades de Atbera e Port Sudan, na costa do Nilo, mas em pouco tempo elas se tornaram uma oposição do regime.

A Anistia Internacional alega que 40 pessoas perderam a vida nas manifestações.



Notícias relacionadas