Ruas sudanesas de Cartum exigem a renúncia do presidente

O presidente Al-Bashir está no poder desde que liderou um golpe militar há 29 anos.

Ruas sudanesas de Cartum exigem a renúncia do presidente

No domingo, as forças de segurança usaram gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes, prendendo membros do corpo docente que protestavam e jornalistas que cobriam o protesto.

Milhares de pessoas tomaram as ruas da capital sudanesa para pedir a renúncia do presidente Omar al Bashir. É a mais recente em quase três semanas de manifestações e pede sua renúncia, colocando um sério desafio ao governo de al Bashir.

Manifestantes reuniram-se em cinco pontos em Cartum antes de começarem a marchar sobre o palácio do lado do Nilo, em Bashir, no centro da cidade.

Eles gritavam: "Liberdade, paz e justiça; a revolução é a escolha do povo".

A polícia usou gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes, que se reagrupariam e retomaram a marcha apenas para serem atacados por gás lacrimogêneo novamente.

Um videoclipe compartilhado por ativistas online pretendia mostrar policiais perseguindo manifestantes enquanto apontavam suas armas de gás lacrimogêneo para o céu antes de dispará-las.

Outro clipe mostrava manifestantes fugindo da polícia, procurando abrigo nas ruas laterais para evitar a prisão e o gás lacrimogêneo.

"Estou totalmente confiante de que conseguiremos derrubar esse regime e levar a vida que merecemos", disse Mohammed, um desempregado de 25 anos que se recusou a dar seu nome completo por medo de represálias.

Alguns jornalistas que cobriam os protestos foram presos, segundo outros jornalistas.


Etiquetas: protestos , presos , Cartum

Notícias relacionadas